Passado

Gostei muito de uma citação do pastor Marco Feliciano, em um vídeo  onde ele afirma que: “ou você deixa o seu passado virar um chapéu mexicano sobre a sua cabeça, fazendo sombra sobre você e anda de cabeça baixa para todo o mundo, ou você pega o seu passado e transforma-o em tapete para pisar por cima.”

A escolha é sua. A escolha é nossa.

Meu passado por muitas e insistentes vezes voltou para me atormentar. Senti-me em muitas ocasiões como sendo fruto de decisões tomadas anteriormente e por isto eu estaria irremediavelmente fadado ao fracasso.

Fonte de Águas Vivas!

O pior de tudo isto eram meus pensamentos de que mesmo decisões, atitudes, sentenças de outras pessoas sobre mim, estariam selando meu presente e futuro.

Mas, ainda bem que existe um mas em nossas vidas, pude perceber a tão grande, a infinita misericórdia de Jesus e a partir daí tenho certeza que meu passado ficou onde deveria estar sempre, lá para trás.

Agora me lembro dele somente para tirar boas lições. Não digo que ainda não lute contra certas “recaídas” que me fazem pensar em toma-lo novamente como um chapéu mexicano, como bem disse o pastor Marco Feliciano, mas encontro força em Jesus e apoio em minha amada esposa além de motivos de sobra para seguir em frente em minha filha.

A escolha é sempre nossa.

“Deus alimenta os pássaros, mas não joga a comida no ninho!”. 

Anúncios

Oração, Combustível da vida Cristã.

Mas meu blog não é referente a corridas ou carros, mas sim sobre vida cristã, sobre minha vida e em como cheguei até os dias de hoje, mostrando onde encontrei forças para recomeçar tantas vezes.

Eu vou lançar mão de uma comparação, que penso ser bem didática e ilustrativa de como isto se deu.

É de fácil entendimento de todos, que para qualquer carro é necessário algum tipo de fonte de energia para que estes veículos se movam, cumpram o seu papel. Nas fórmulas, como a F1, a fonte utilizada, até o momento, provém de combustíveis de origem fóssil, a gasolina, além de outras fontes de energia recuperadas através de freios, calor…

Pois bem, numa corrida, os bólidos vão ter de carregar combustível suficiente (hoje não se permite reabastecimento) para completar a prova, do contrário acontecem as bizarras “pane seca”, onde o piloto desce do carro não acreditando que a equipe permitiu um erro grosseiro e talvez até lhe impediu uma vitória.

Em nossa caminhada cristã é a mesma coisa.

Assim como nas F1, precisamos de fonte de energia para sobreviver. Precisamos ingerir comida, que através dos processos digestivos, transformam-se na energia necessária para que aconteça a vida.

Só que não somos seres somente físicos.

Diferentemente dos animais, não nos impulsionamos somente por instintos, mas sim, como somos o ponto culminante da criação divina, surge em nós a necessidade de nos conectarmos com Deus.

Passei por diversas fases na vida, muitas turbulências, perdas irreparáveis, muitas dificuldades de toda a ordem: financeira, profissional, de autoafirmação. Tive dúvidas, fracassos, medos, e vitórias tanto quanto outras pessoas.

Passei a enfrentar os momentos difíceis na presença de Deus, conversando com Ele através da oração.

Posso então comparar agora a oração como o “combustível” de nossa caminhada. Nosso “combustível” não é físico, comum ou prejudicial, mas é poderoso o suficiente para mover uma montanha de lugar, se aditivado com outro ingrediente, a fé.

Não somos carros, não estamos em corridas, mas ao chegar o fim de nossas vidas, queremos receber como prêmio, o céu. Para isto, nunca nos pode faltar o “combustível” vital para a vida cristã, oração, conversar com Deus e com isto obter a energia necessária para erguer a cabeça em meio à turbulência e prosseguir.

Nos campeonatos de F1, algumas equipes e pilotos ganham mais do que outros, devido a melhor preparação, melhores conjuntos máquina-piloto ou ainda soluções mais engenhosas e mais perfeitas adequação as condições de pista/regulamento.

Espiritualmente falando, os verdadeiros vencedores são aqueles que conseguem melhorar de desempenho a cada dia, passo-a-passo, compreendendo que não se trata de religião, mas sim, de um real encontro com Deus. 

Estes vão construindo a estrada, o caminho, pelo qual vão caminhar, para que, ao fim da “corrida” chamada vida, recebam o tão sonhado “prêmio” que é a salvação e uma eternidade no céu, ao lado de Jesus.

Posso afirmar com convicção: nada se compara a uma vida de intima comunhão com Deus.

E o melhor é saber que para ingressar neste caminho não é se faz necessária a prática, testes e nenhum outro pré-requisito é só querer buscar. 

Como disse Paulo: “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.” 2 Timóteo 4:7.

“Vocês não sabem que dentre todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio.
Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre.
Sendo assim, não corro como quem corre sem alvo, e não luto como quem esmurra o ar.” 
1 Coríntios 9:24-26.

Criação ou evolução?

Para provar que não é fruto de uma explosão, que só manifesta pedaços, o Universo permanece pleno Ad Perpetum”. Pastor Messias dos Santos.

Vamos pensar um pouco a respeito da frase acima imaginando a seguinte cena:

Você sai de casa e ao retornar encontra em cima da mesa um lindo bolo de chocolate.

Teríamos duas situações possíveis, duas teorias, para explicar como este bolo apareceu.

São elas: 

1 – Criacionista:

Criacionista

2- Evolucionista:

Evolução

Comecemos pela teoria da evolução: 

Assim que você sai de casa, um caminhão de entregas de supermercado, capota em sua rua.

Como vinha em alta velocidade, o caminhão tomba diversas vezes, fazendo com que as embalagens dos produtos se rompam.

Com a violência do impacto todos os ingredientes necessários para a confecção do bolo, que por acaso, encontram-se no baú do referido caminhão vão se misturando.

E vai tombando o caminhão, e vai misturando, farinha, ovos, água, e mistura, quanto mais tomba mais mistura, óleo, fermento, chocolate em pó…

Por fim tudo cai numa forma e com a explosão do caminhão, o bolo assa pelo tempo necessário.

Os ingredientes para a cobertura são misturados à parte e no último segundo, a cobertura já pronta, desgruda do teto do baú e cai sobre o bolo que, com o impacto, salta para uma linda embalagem.

Um bombeiro que atende a ocorrência avista o tão lindo bolo e como a sua casa é a mais próxima, e está com a porta aberta (você saiu e esqueceu-se de fechar…), ele coloca o bolo em sua mesa, coberto, embalado, lindo e delicioso. 

Agora a teoria da criação:

Alguém de sua casa foi até a padaria mais próxima, comprou um lindo bolo de chocolate, feito por um especialista que domina a técnica da mistura dos ingredientes, seguindo uma receita com passos ordenados para sua confecção.

E deixou o bolo sobre a mesa.

Sinceramente, qual a teoria mais plausível para explicar o “aparecimento” do bolo em sua mesa?

É desta forma que tentam nos empurrar goela a baixo, a teoria do “big-bang”, afirmando que o Universo inteiro, antes da explosão caberia numa esfera de 1cm³.

Mas as perguntas:

O que havia antes da tal esfera se formar?

Onde esta esfera estava localizada?

Fora desta esfera o que havia?

Como foi possível juntar numa esfera tão pequena todos “ingredientes” necessários para formar o Universo?

Depois de uma explosão é possível haver ordem, leis, regras, VIDA?

Estas perguntas ninguém consegue responder. Não de forma que se possa assimilar, ao menos.

Faz-se necessária uma fé tamanha para crer na possibilidade de uma explosão gerar tudo o que conhecemos, e o que ainda nem sonhamos que exista que torna a teoria da explosão inicial algo beirando o absurdo.

Deus simplesmente disse Haja Luz e Houve Luz.

Simples.

Pontualidade

Assisti ao vídeo abaixo, que para mim é um bálsamo. Sinceramente procurei de muitas formas relaxar, deixar tudo correr mais solto, não me preocupar tanto com horários, ser menos pontual.

Não consegui.

Sou absolutamente avesso a atrasos. Não consigo me sentir confortável estando atrasado e muito menos atrasando alguém, deixando alguém na angustia da incerteza do “será que ele vem?”.

Segue o vídeo:

Cristo, Verdadeira Liberdade.

Em minha vida fiz diversas escolhas. Em muitas oportunidades aparentemente eu estava deixando, perdendo algo.

Ao assumir o compromisso sério com minha então namorada, deixei para trás vários vícios. Fiquei em uma posição bastante vulnerável, ou deixava, largava os vícios, ou teria de abrir mão dela. Estamos a quase 12 anos juntos, não é necessário explicar minha escolha. Muito obrigado meu amor.

Eu sentia que estes vícios não me atrapalhavam em nada, pensava estar no controle deles. Ledo engano.

Por 05 anos, literalmente queimei meu dinheiro, em troca de uma pseudoliberdade, agindo e imaginado estar numa propaganda, desbravando uma planície imensa para chegar ao topo de uma montanha, uma conquista e de lá então apreciar o prêmio pela vitória.

Quando na realidade eu vivia fedendo, minha saúde não me permitia mais mergulhar, nadar, andar de bicicleta com o desempenho e vigor anteriores. Nem bem eu conseguia subir os dois andares, pelas escadas, do prédio onde morava. Meu sono era frequentemente interrompido pela falta de ar ou pelas intermináveis crises de tosse.

Não foi nenhum pouco fácil. Por uma semana eu fiquei com fortes dores de cabeça, mas desde lá nunca mais tive nem sequer vontade de voltar. Mas não desisti nem de tentar e muito menos de minha amada. Não toquei por balas, adesivos ou coisas assim. Somente força de vontade.

Engordei 8 quilos quase que imediatamente, mas valeu muito.

Agora consigo ver claramente as agressões que fazemos ao nosso corpo e que não trazem nenhum benefício.

Entendo também as pessoas que por longos anos, ou uma vida inteira, se prendem a prazeres passageiros, como drogas lícitas ou não, imaginando um dia parar, ou quem sabe dizendo eu controlo e estufando o peito para dizer: sou livre.

Eu era assim.

Hoje, não sou melhor do que ninguém, mas estas amarras não conseguem mais me segurar. Antes, mesmo sem Cristo já havia conseguido me desvencilhar delas. Agora com Cristo em nossas vidas, torna-se cada vez mais difícil ser atado novamente.

Em Cristo encontrei a verdadeira liberdade.